Chiang Rai na Tailândia em um dia!

Chiang Rai - Templo Branco - Drone - Aéreo

Chiang Rai é uma das cidades mais ao norte da Tailândia e muitos turistas acabam fazendo um bate-e-volta partindo de Chiang Mai, uma cidade vizinha. Depois de algumas experiências cansativas de bate-e-volta e pela oportunidade de voo para o próximo destino, resolvemos dar um crédito e dedicar um dia inteiro para Chiang Rai. E afinal, o que fazer em Chiang Rai na Tailândia em um dia?

Fizemos reserva de duas diárias em Chiang Rai no hotel Baanmalai Guest House e compramos nosso ticket de ônibus no centro de Chiang Mai por 186 baht (R$ 18,60 em setembro de 2017). Saímos por volta de meio dia num ônibus bem confortável. A estrada é muito boa, com belos cenários e muitas curvas. Sugiro tomar um dramin para quem tem problemas de enjoo.

Na recepção do hotel havia um caderno com as opções de passeios: 900 baht/pessoa (R$ 90,00) de ônibus turístico ou 1.800 baht (R$ 180,00) um carro privativo com motorista que pode ser dividido para quatro pessoas (450 baht/pessoa – R$45,00). Como éramos quatro pessoas, fizemos a opção de carro privado para maximizar nosso tempo: demorar ou acelerar em nossas paradas.

#1 Templo Branco de Chiang Rai

Apesar de termos visitado diversos templos pela Tailândia, sempre haverá um templo que irá te surpreender. Assim foi com o Templo Branco. O Wat Rong Khun (ou templo Branco como é conhecido por estrangeiros) foi reconstruído por um artista da cidade que investiu seu próprio dinheiro. A entrada para o templo custa 50 Baht (R$ 5,00). Foi nossa primeira parada do dia e o local já estava simplesmente lotado.

As decorações do templo vão além dos itens budistas. Muitos itens remetem a demônios e fazem analogia ao inferno. Na entrada para o templo principal, um mar de mãos brotam do chão parecendo suplicar para sair do sofrimento. Bem bizarro.

Na parede dentro do templo principal, você vai encontrar uma pintura com vários personagens da televisão: pokemon, indiana jones, michael jackson, minion, super homem, homem aranha, ben 10, hellraiser, etc. São vários os personagens, incluindo até mesmo Osama Bin Laden e as torres gêmeas. A ideia por trás dessas informações é que nenhum super-herói poderá salvar o mundo. Apenas Buda.

#2 Templo Azul de Chiang Rai

O templo azul de Chiang Mai ainda não é muito conhecido e nem explorado pelos turistas, mas já está entrando no roteiro de muitos passeios. O templo principal já está terminado e encanta com suas construções azuladas. Os artistas e pintores são da mesma escola dos que produziram o Templo Branco. O templo principal abriga o Buda em cor branco perolizado com uma luz azulada que emite um efeito sensacional.

Chiang Rai - Blue Temple 01

 

#3 Casa Negra (Black House)

Alguns chamam a Black House de templo, mas ele é um museu de arte obscuras. O artista possui suas criações cheias de morte e escuridão. Um fascínio pelo lado mais obscuro da humanidade.

#4 Tribo das Mulheres-girafas (Long Neck Village)

Esse é mais um dos polêmicos assuntos turísticos. Alguns dizem que a comercialização pelo governo em cima das mulheres da vila é algo bem exploratório. De todo o nosso dia por Chiang Rai, esse foi o local que me senti mais desconfortável.

Essa vila possui 6 tribos de diferentes regiões, cada uma com seus costumes, cultura, música, vestes e artesanato. Nós éramos praticamente os únicos naquele momento, então toda a atenção dos moradores estavam voltados pra gente. A principal fonte de renda deles é o artesanato, então eles fazem quase de tudo para te convencer a levar algum souvenir.

Além dos artesanatos, eles possuem um local de cerimônia onde cantam e tocam seus instrumentos. Ao final da cerimônia, também é esperado uma gorjeta.

#5 Plantação de Chá

Hoje em dia é quase impossível não pensar em Chá Verde como uma bebida típica da Tailândia. Não só do chá normal vive a Tailândia. Você pode encontrar o chá verde em suco, iogurte, pasta com leite de coco, geleia pra pão e até mesmo como recheio de Kit Kat.

Durante o passeio, visitamos uma das maiores plantações de chá de Chiang Rai na província de Doi Mae Salong. O local possui uma paisagem como os terraços de arroz, vários mirantes ao longo do caminho para tirar fotos e apreciar o local, além de cafeterias chiques servindo várias opções de bebidas, do tradicional chá ao milkshake com feijão vermelho.

#6 Monkey Cave

Próxima parada foi a Monkey Cave. Simplesmente bem maior do que imaginei, majestoso! Na entrada os funcionários te entregam uma arma (uma vareta de pau) que você poderá utilizar caso o macaco queira tomar gosto com você.

Subi uma escadaria gigante por dentre as rochas até um mirante e a entrada principal da caverna. Já era umas 16 horas e estava simplesmente assombroso. Eu era a única alma viva do local. Fui até a abertura da caverna ver se tinha algo diferente ou se tinha algo para ver. Estava tudo muito escuro e sombrio. Me dei por vencido e voltei sem conhecer o interior gelado da caverna.

#7 Golden Triangle

O Golden Triangle é o ponto onde fica a tríplice fronteira entre Tailândia, Myanmar e Laos. Existe um passeio de barco até Laos onde você irá visitar um mercado de artesanato com a famosa cachaça de serpente. Para entrar em Laos, brasileiro precisa pagar pelo visto, mas você é dispensado para visitar esse mercado (mas também não ganha carimbo no passaporte) Rs.

Um mirante e uma praça com imagens do Buda e estátuas de elefantes completam todo o cenário. Lá você pode encontrar também o Museu do Ópio.

#8 Cidade Ancestral

Nossa última parada de onde contemplamos o por-do-sol foi no alto de um templo budista na cidade ancestral de Chiang Saen onde possui construções datadas do século VII.

Conclusão

Tivemos a oportunidade de voar partindo de Chiang Rai e assim aproveitar melhor o tempo na cidade. Os passeios bate-e-volta partindo de Chiang Mai incluem algumas paradas antes de chegar em Chiang Rai como os gêiseres onde os nativos cozinham ovos ou vendem ovos crus para que os turistas possam cozinhar e comer.

Passeios bate-e-volta nessa distância geralmente são bem cansativos. Serão 4 horas de ida, 4 horas de volta mais o tempo pelos pontos turísticos.

Acredito que fizemos uma boa escolha em dedicar um dia inteiro para esse passeio.

E vocês, qual desses locais parece te agradar mais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *