Como é um curso de meditação em Chiang Mai

Acordei mais cedo que o habitual ansioso pelo curso de meditação em Chiang Mai. Estou com aquela sensação de frio na barriga quando estamos rumo ao desconhecido. Como aquele primeiro dia de aula da faculdade, ou quando vamos falar em público sem estar habituado à situação. No fundo sabemos que vai sair tudo bem, vai dar tudo certo, mas não deixamos de ter aquela apreensão inicial.

Despedi-me das minhas meninas pela manhã de uma segunda-feira e fui atrás ainda de um local pra tirar a cópia do meu passaporte. Aproveitei pra me informar com a recepcionista onde poderia pegar um ônibus para o templo.

Caminhei até o ponto de ônibus e comprei uma quentinha na 7-11 (um loja de conveniência) porque eu não sabia se seria fácil comprar comida perto do templo. Peguei meu red bus (as tradicionais pick-ups tailandesas de Chiang Mai que funcionam como transporte público) e paguei 50 baht (em torno de 5 reais) pela corrida. O tempo do percurso sinuoso até o alto da montanha onde fica o templo foi em torno de 35 minutos.

Templo Doi Suthep

Na entrada do templo Doi Suthep, muitas barracas de comidas, artesanatos e turistas saindo pelos ladrões. Ainda na entrada você já encara a grandiosidade das construções dos templos budistas, a estátua de um buda sentado com uns 3 metros de altura e a estátua do mais famoso monge budista em pose de meditação. Para chegar ainda até a área principal do templo, uma escadaria de tirar o fôlego.

Escadaria do Templo Doi Suthep Chiang Mai
Um passo de cada vez. Vencemos a escadaria.

Chegando na entrada, perguntei onde fazer o registro para o curso de meditação. Ele apontou numa direção e disse “Siga as placas Meditation Center“. Continuei ainda caminhando por uns 15 minutos, parando num View Point para contemplar a gigante cidade de Chiang Mai.

Continuei a caminhada ainda por um percurso com muitas escadas, pequenas barreiras e descidas até chegar no escritório do curso. O atendente pediu para preencher um documento com meus dados básicos, me deu a chave do quarto e pediu para eu retornar nos horários da aula demonstrativa e cerimônia de abertura.

Aula demonstrativa e cerimônia de abertura

Voltei no horário da aula demonstrativa, em que um monge nos ensina como devemos caminhar e sentar durante a meditação e que devemos manter nosso foco na respiração. Ele nos entregou uma folha com informações sobre os horários dos eventos e regras gerais do local. É expressamente proibido conversar com outro aluno do curso salvo extrema necessidade; É proibido fumar e beber álcool; Não pode usar celular e usar internet, nem escrever, escutar música, ler ou basicamente qualquer outro tipo de distração; Não pode comer carne e não pode comer qualquer tipo de sólidos após meio-dia; entre outras regras. Como já diria Arnaldo César que “a regra é clara”! Seu corpo e sua mente deverá estar 100% focado na meditação, 100% presente naquele lugar!

Pamda José em Meditação em Chiang Mai
100% focado na meditação. Distrações proibidas.

O dia em que cheguei atrasado no Dhamma Talk

A primeira atividade do dia é o Dhamma Talk que começa às 5h da manhã. No terceiro dia eu acordo as 6h da manhã com algum colega de corredor batendo porta. O meu despertador tocava brilhando desesperadamente sem emitir nenhum som. Estou atrasado 30 minutos e me sinto nervoso e constrangido com a situação e penso que vou levar uma bronca. Visto minhas roupas num único pulo e saio correndo em direção ao templo.

Encontro um colega já em meditação no meio do caminho. Lembro que não posso “falar” com ele e então gesticulo meus braços perguntando nervosamente se a sessão já havia acabado. Ele simplesmente me ignora, continua caminhando em sua meditação e saio em disparada ao templo. Chego ao templo e o monge-professor ainda está falando para o grupo. Sento no fundo da sala mas não tive nenhum problema além do meu psicológico afetado por ter transgredido o horário. Rs

Apaixonado pela vista das nuvens

O Dhamma Talk acaba as 6h30 e subo para a varanda do salão de meditação para aguardar a hora do café da manhã. Estou a mais de 1.000m de altitude em relação à cidade de Chiang Mai e isso faz com que tenhamos uma vista maravilhosa da cidade. Pela manhã, com o tempo fechado, nosso templo fica acima das nuvens dando a impressão de que estamos contemplando um gigante mar branco.

Chiang Mai - Mar de Nuvens
Mar de Nuvens

Apesar da distância, é possível escutar a potência dos motores dos aviões em decolagem do aeroporto e, de repente, surgir por entre as nuvens até sumir no horizonte.

Essa vista variava entre um imenso céu azul a neblina dançando por entre as árvores. Algumas vezes era possível ver todas essas combinações em único dia.

Como foi minha alimentação nesse período?

O sino é tocado às 7h informando que o café da manhã está pronto. O prato do dia é macarrão de arroz (não é macarrão de trigo, macarrão feio de arroz mesmo) com legumes, cheiro verde <3 e pedaços de um sólido que lembra carne enlatada.

Uma novata senta na minha mesa, era o primeiro café da manhã dela no curso, ela cata o cheiro verde (ou coentro) e coloca num guarda-napo. Falar com outros alunos é proibido, mas não resisto, eu levanto meu prato em silêncio querendo o matinho que ela catou. Ela levanta o prato dela achando que teríamos que brindar já que estamos na mesma mesa e que seria algum tipo de tradição budista. Eu aponto para o matinho, ela sorri envergonhada e me entrega o cheiro verde. Kkkkk… Ta bom. Sei que não existo, mas não resisto.

As refeições do café da manhã e do almoço variavam entre arroz ou macarrão e legumes. Algo bem difícil para quem tem restrições de comida ou pra quem é chato para comer. O único dia em que eu não raspei meu prato foi no último café da manhã porque arrocharam na pimenta e foi praticamente impossível comer. Percebi que muita gente também não conseguiu comer. Olha que eu gosto de pimenta, mas nos últimos dias já tinha comido muita pimenta e a “saída” já estava reclamando da quantidade de pimenta ingerida (entendedores entenderão) Rsrs.

Porque decidi fazer o curso de meditação?

Além da oportunidade de passar um mês morando na cidade, dois motivos me levaram a fazer o curso de meditação em Chiang Mai.

Templo-Doi-Suthep-View-Point-Chiang-Mai
Vista noturna do Templo Doi Suthep da cidade de Chiang Mai

Primeiro motivo foi que nos últimos três anos teve um boom no Brasil sobre os benefícios da meditação para alcançar um novo nível de mentalidade.

Em segundo lugar porque eu nunca havia tirado um tempo exclusivamente meu (bem egoísta). Sem filha, sem esposa, sem família, sem trabalho, sem celular (ou quase), sem internet, sem comunicação com o meio exterior, sem saber por onde anda o furacão Irma, sem pensar em absolutamente nada! Acho que eu tava precisando disso.

Vale a pena fazer o curso de meditação em Chiang Mai?

Não digo que é tudo lindo e maravilhoso, mas parece que o tempo passou rápido. Como foi minha primeira vez meditando, era tanta novidade que minha mente voava entre minha infância, meu presente e meu futuro. Ficava pensando constantemente em escrever a experiência e também no que eu deveria falar com o professor na hora do report diário. Enfim, acredito que meu foco na meditação foi em torno de 50%.

Nesses cinco dias que vivenciei essa experiência singular, vi alunos extremamente focados e comprometidos e outros completamente entediados que não fazia a mínima questão de esconder sua impaciência e parecia não ver a hora de ir embora.

O Dhamma comentou que muitas pessoas sentem muita dor e desconforto tanto quanto sentados quanto caminhando e outras que sentem muuuuita fome. Eu superei bem essas duas dificuldades. Não tive nenhum tipo de dor física e senti fome poucas vezes. A parte da fome foi uma superação que foi além das minhas expectativas.

Monge budista em Chiang Mai com turistas
Monge que nos ensinou muito sobre o budismo

Talvez em uma próxima oportunidade eu consiga aumentar o meu foco por já ter passado esse momento e a ansiedade por escrever, pensar no que falar e como fazer não será mais novidade. Assim, acredito que será mais produtivo.

E você? Encararia essa oportunidade? Já passou pela experiência? Qual sua opinião? Seu comentário é muito importante para nós!

Grande abraço!

Pamda José

Já está nos seguindo no Instagram? já se inscreveu em nosso canal do YouTube?

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *