De Frutillar a Pucón

Temos sempre em mente que uma viagem de 365 dias pode ser inviável financeiramente se sairmos feitos loucos todos os dias, indo sempre a restaurantes e atrações. Éramos bem acostumados a fazer isso em nossas férias para que fosse aproveitado ao máximo os curtos 30 dias que temos direito por ano (para os assalariados).

Conseguimos nossa primeira hospedagem “gratuita” na pequena e pacata cidade de Frutillar, cidade colonizada pelos alemães. Linda região dos lagos chileno. Passamos 10 dias num chalé com vista para o lago e três vulcões. #pedaçodoparaíso ❤️
Aproveitamos esses dias para “descansar” fisicamente e financeiramente da intensa e corriqueira viagem dos primeiros 10 dias pela região patagônica. Rsrs.

A família do hotel em qual ficamos hospedados estava construindo um galpão para eventos e a forma de troca pela hospedagem e alimentação foi um serviço bem braçal para mim e edição de vídeo e fotos para o evento para Renata. O trabalho braçal foi bem árduo e pesado. Mas nada que mate. Rsrs

Teatro del Lago – Frutillar

Aproveitamos esses dias para conhecer a cidade de Frutillar, Puerto Montt e Puerto Varas. Conhecemos um grupo de brasileiros no sul do Chile e fomos convidados para um almoço tipicamente brasileiro (Feijoada) com mais 40 pessoas entre brasileiros, cônjuges chilenos e filhos. Após a refeição, cada família teve que se apresentar para que se conhecessem melhor, visto que a maioria residia na região. Vários discursos emocionantes e muita saudades dos familiares no Brasil. Muitas pessoas acham fascinante a ideia de morar no exterior mas não conhecem a realidade de quem realmente mora. A grande maioria confessou que não é fácil viver em outra cultura, com outro idioma, longe de um vínculo afetivo e que, algumas vezes, se sentem um pouco sozinhos.

Tivemos uma refeição maravilhosa e uma tarde muito agradável. A parte que minha filha Joyce mais gostou foi poder conversar um pouco em português. Rsrs. E um agradecimento especial para Priscila (nossa anfitriã): muito obrigado pelo convite.

As meninas modelando em Frutillar

Voltamos para Frutillar e trabalhamos a semana inteira. Já próximos ao natal, fomos convidados pelos donos da casa a juntar-se a eles para a ceia de natal. Nós éramos umas 20 pessoas de várias nacionalidades. Nossa mesa era constituída de pessoas do Brasil, Chile, Rússia, Alemanha e Nova Zelândia. Era incrível a salada linguística que praticávamos.

Tivemos REFEIÇÕES MARAVILHOSAS nessa ceia de natal. Bebemos vinhos chilenos e Cerveja alemã (lembra que é uma colonização alemã? esqueci de comentar que a família que nos hospedou é de origem alemã).  A entrada foi ceviche de Salmão. Depois fomos para a grande mesa e tivemos presunto recheado de palmito, peru ao molho e de sobremesa pêssego em calda com uma fruta típica da região com creme de leite. Mais um agradecimento: Ricardo, meu muito obrigado por esses dias junto a você e sua família.

Bem, chegamos numa sexta-feira e ainda estávamos em dúvida de qual dia partiríamos. Após uma semana intensa de trabalho árduo e minha vontade de escalar um vulcão, me deparei com fotos e vídeos do Vulcão Villarrica. Fiquei apaixonado. Decidimos então dar um tiro. Fizemos a reserva de um hotel e embarcamos no busão com destino a Pucón.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *