Viagem de motorhome – Nossa primeira casa sobre rodas

Dia 22 de janeiro, dia em que eu e Reis comemoramos 15 anos (!) juntos, saímos para realizar mais um sonho.  

Casa sobre rodas

Depois de várias tentativas frustradas, conseguimos finalmente confirmar a reserva de um motorhome utilizando o esquema de relocação de carros – a gente faz um trecho que a locadora quer, mas paga quase nada pelo aluguel do carro. Quer presente melhor? Vamos viajar de motorhome!

Saímos de casa cedinho e fomos até o aeroporto, para buscar o carro. Joyce, ainda com catapora, ficou em casa. Chegamos na locadora e fomos atendidos pela Vera, uma alemã simpática que nos mostrou toda a papelada e explicou todo o funcionamento do motorhome.

Optamos por pagar alguns opcionais, para termos mais tranquilidade. Pagamos uma taxa de limpeza (75 dólares), um seguro para vidros (que quase foi útil com tanta pedrinha no parabrisas) e fizemos o agendamento do ferry entre as ilhas, pois nosso papel era levar esse motorhome de Auckland (ilha norte) até Christchurch (ilha sul).

Ainda pegamos umas coisas na caixinha de “goodies , onde ficam doações das coisas que as pessoas deixam dentro dos veículos. Peguei uns temperinhos, detergente, café eeeeeeeee uma cafeteira francesa. <3 Que felicidade ter novamente uma cafeteira pra chamar de minha e me fazer feliz todas as manhãs (#coffeeadict).

Assistimos um dvd que explica a operação do motorhome: como recarregar baterias, encher os tanques de água, retira o esgoto, operar o fogão, etc. Depois de assistir, a Vera ainda mostrou tudo de novo pra gente. Estávamos tão felizes que o Reis pediu pra dar um abraço na Vera. Pena que a lesada aqui filmou o chão, ao invés da cena.

Nossa casa sobre rodas - primeiro motorhome!
Nossa casa sobre rodas – primeiro motorhome!

Pegamos as chaves e lá fomos nós! O carro era enorme e no começo fiquei bem pouco a vontade. Não que eu estivesse dirigindo, mas fiquei tensa como se estivesse.

Paramos no Countdown (um dos principais supermercados do país) para fazer umas comprinhas para os próximos dias. Comida, lanches e água para nossa aventura. Voltamos na casa da Judith, buscamos Joyce, comemos um franguinho assado que trouxemos do supermercado e mandamos alguns álbuns para clientes. Depois, fizemos uma transmissão ao vivo no facebook para mostrar o carro aos amigos e, no começo da tarde, partimos!

Motorhome na estrada

Bastante chuva e muitos trechos em obras. Isso, somado à inexperiência com o carro, resultou numa viagem bem lentinha. Confesso que senti um pouquinho de medo durante a viagem.

Eu queria muito dormir no McLaren Falls Park, um acampamento próximo à cidade de Tauranga, na costa leste (200km de distância). Tinha lido muitos bons relatos sobre o local, mas ainda estávamos decidindo, já que não havia wifi.

McLaren Falls Park - Como chegar e querer ir embora?
McLaren Falls Park – Como querer ir embora?

Passamos pelo park e resolvemos entrar para dar uma olhada para decidir. Paramos na recepção e perguntamos sobre o pagamento. O cara disse que passaria mais tarde para recolher, caso ficássemos.
O local era lindo! Tudo muito rústico, à beira de um lago, no meio da natureza.

Precisei olhar algumas vezes pela janela para acreditar que era tudo realidade. Viagem, família, parque, motorhome, tudo. Obrigada, universo!

A primeira noite

As estradinhas bem estreitas e íngremes, mas o carro mandando super bem. No local onde estacionamos, a estrutura consistia em espaço aos montes para estacionar o carro, algumas mesinhas de piquenique e um banheiro. Nada mais. Escolhemos um lugar bem plano, próximo ao lago e estacionamos. Resolvemos passar a noite por lá mesmo.

Olha nosso motorhome estacionado ali embaixo!

Apesar da chuva, conseguimos dar um pequeno passeio até o lago antes de escurecer. De dentro do carro, vimos a noite cair enquanto jogávamos “Life”, uma versão em cartas do “Jogo da Vida”. Confesso que foi bem estranho dormir assim, no meio do nada, com tudo escuro. Barulho do vento, da chuva e mais nada. Um casal acampou aqui perto, mas nem ouvimos nenhum barulho deles. Era um pouco assustador pensar em como estávamos “expostos”. Nossa casa totalmente vulnerável, num lugar no meio do nada.

Paranoia de brasileiro.

A noite foi tranquila e acordamos no dia seguinte bem descansados. Reis foi dar uma corrida na beira do lago e eu fiquei fazendo alguns vídeos do local, depois comecei a preparar o café da manhã dentro do nosso motorhome. Tomamos café e nos preparamos para dar uma volta. Que lugar mais mais lindo!

Paramos num outro ponto de apoio dentro do parque, onde tem chuveiro com água quente, mais banheiros, pias para lavar louça e outras facilidades. Tomamos banho, fizemos algumas fotos e depois seguimos.

viagem de motorhome na nova zelândia
Depois da chuva, o arco-íris <3

Encostamos no centro de informações para tentar pagar nossa hospedagem, já que o carinha tinha passado no nosso local quando não estávamos no motorhome. Não havia ninguém na recepção. Tentamos no café ao lado e nada. Esperamos um tempo, mas ninguém apareceu. Ainda pensei em deixar o dinheiro junto com o número da placa do carro. Seguimos viagem torcendo para não ter problema depois.

Nosso próximo destino seria Napier, uma cidade da costa leste. Pesquisamos alguns acampamentos e pé na estrada! No próximo artigo a gente conta mais sobre essa aventura!

Se você sempre teve vontade de viajar de Motorhome mas não sabe por onde começar, confira o nosso ebook!

Renata Marques

11 comments

  1. Que experiênciaaa shoow! Vejo tanto em filmes estrangeiros e sempre tive vontade de fazer uma viagem assim, dever ser muito legaal! As paisagens estavam um deslumbre! Uma ótima viagem pra vocês =)

    1. Poisé, Gabriela. Para a relocação tem que ter ou muita sorte ou ter uma agenda completamente aberta para aproveitar uma boa oportunidade.
      Tivemos 3 experiências com relocação da Nova Zelândia e valeu muito a pena.
      Quando estiver embarcando, não deixe de nos avisar. =)
      Abraço do Pamda.

    1. Para quem gosta de paisagens e de estrada, essa experiência é sensacional. Estamos indo pra Europa em outubro e queremos alugar outro por lá.
      Nos avise quando estiverem embarancando em um.
      Abraço do Pamda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *