2º Destino: Nova Zelândia

Paisagens da Nova Zelândia

Ficamos dois meses no nosso segundo destino: a Nova Zelândia!

Trecho 1 – Ilha norte – Auckland, Rotorua, Taupo e Hamilton (3 semanas)

Voamos de Santiago a Auckland em voo direto pela LATAM. Tivemos uma imigração mais que tranquila. Em Auckland, ficamos hospedados no bairro de Henderson, que fica no oeste da cidade. Ficamos em uma casa, onde ficamos responsável por cuidar de uma garotinha de 10 anos, enquanto a mãe ia para o trabalho. Em troca, tínhamos hospedagem e alimentação. Foi uma excelente forma de economizar – já que a hospedagem no país é absurdamente cara! Conseguimos essa oportunidade através do site workaway.info.

De Auckland, aproveitamos para conhecer a ilha de Waiheke e a península de Devonport.

Depois, na nossa segunda semana, fomos de ônibus para a cidade de Rotorua. Amamos a cidade e tudo colaborou perfeitamente! O clima estava super agradável, a cidade é aconchegante, ficamos em um bom motel. Adoramos conhecer os gêiseres, águas termais e a cultura dos maoris.

De Rotorua, seguimos de ônibus para Taupo. Nossa ideia inicial era visitar o Tongariro National Park, mas não tínhamos roupa apropriada – nos desfizemos dos nossos casacões de inverno no Chile. Então, acabamos ficando mesmo pela cidade.

Paisagens na caminhada em Taupo

Nossa parada seguinte foi Hamilton. Quando reservamos nossa hospedagem em Hamilton, havíamos programado estar de carro e visitar Waitomo Caves. Mas infelizemente, devido ao cartão clonado não conseguimos o aluguel. Como precisaríamos estar de volta no dia seguinte em Auckland, não deu certo.

Voltamos para Auckland e acabamos tendo que ficar mesmo em casa pela última semana, pois a pequena pegou catapora! Nem temos ideia de onde… Alguns pontos que queríamos visitar na ilha norte acabaram ficando para uma próxima viagem (Coromandel e Rangitoto Island).

Trecho 2 – Viagem de motorhome – Da ilha norte à ilha sul

No dia 22 de janeiro, pegamos um motorhome! Essa foi uma vontade que foi crescendo nos nossos primeiros dias na Nova Zelândia e conseguimos através do esquema de relocação de veículos – fazer um trecho que a locadora deseja e assim pagar quase nada. Preço do aluguel? NZ$2,50 a diária (sim, dois dólares e cinquenta centavos por diária).

Motorhome. Lar.
Motorhomepor NZ2,50 a diária – felicidade dupla!

Tínhamos a missão de levar o motorhome de Auckland a Christchurch em 5 dias. Dividimos nosso roteiro em três noites pela ilha norte e a última noite na ilha sul. Joyce ainda estava com as bolhinhas da catapora, então precisamos evitar locais muito turísticos. Por isso, acabamos não visitando o vilarejo do Hobbiton, que é a primeira imagem que vem pra muitas pessoas sobre a Nova Zelândia.

Nossa primeira noite foi próximo à cidade de Tauranga, num parque florestal chamado McLaren Falls – lindo mas sem internet e sem energia. Nos sentimos muito vulneráveis durante a noite e isso nos fez ficar um pouco desconfortáveis no local. Éramos somente nós e mais um casal onde acampamos – além das ovelhinhas que apareciam de vez em quando. Apesar disso, gostamos muito do local.

De lá seguimos rumo a Napier, uma cidade de arquitetura bem bonitinha. Como muitos lugares no país, Napier precisou ser reconstruída depois do terremoto de 1931. Passamos a noite em um Holiday Park com estrutura de água, internet e energia para o motorhome.

A noite seguinte passamos em Wellington, num estacionamento público e onde nosso carro quase foi carregado pelo vento durante a madrugada. Não conseguimos passear por Wellington. Primeiro porque o motorhome era grande demais para entrar nas ruas da cidade (quase ficamos “entalados” em uma delas) e além disso, teríamos que pegar o ferry na manhã seguinte.

A viagem de ferry foi linda! Além do ferry ser relativamente luxuoso (ao menos comparado com o de São Luís), a paisagem é incrível. Os fiordes na chegada da ilha sul são impressionantes. como havíamos perdido todo o dia com a viagem de ferry, precisamos avançar bastante. Dirigimos até a noite cair, por volta das 21:30 e paramos na cidade de Murchison, somente pra dormir.

Fizemos toda a limpeza do motorhome na manhã seguinte e chegamos em Christchurch para a devolução do carro bem a tempo.

Devolvemos o carro e encontramos uma hospedagem lá perto mesmo, onde ficamos por alguns dias.

Fomos até o centro da cidade duas vezes e ficamos bastante impressionados com o que vimos. A cidade ainda está em recuperação dos terremotos que ocorreram em 2010 e 2011.

Trecho 3 – Viagem de carro – Ilha sul – Christchurch a Dunedin

Trecho 4 – Viagem de motorhome 2 – Ilha sul – Queenstown a Christchurch

Trecho 5 – Rangiora e Loburn

Trecho 6 – Christchurch