Primeiro passeio em Bangkok – Hospital, unicórnio, escorpiões e luto

No dia seguinte à nossa chegada em Bangkok, saímos para explorar a cidade. Sem muito rumo, sem roteiro. Mais pra ter um gostinho da cidade.

Hospital ou shopping de luxo?

Nossa primeira parada precisava ser o hospital, pois Joyce se queimou na Malásia e precisava ir trocar o curativo. Embora o valor estimado do Uber fosse bem barato, queríamos conhecer o transporte público local e pegamos o BTS, o skytrain de Bangkok. O Reis é absolutamente fascinado pelas estruturas desses trens e não pensou nem duas vezes.

Os tickets são vendidos através de maquinhas que só aceitam moedas. Para isso, precisamos trocar dinheiro com uma atendente. O processo foi simples. A passagem é cobrada de acordo com a distância e existe um mapinha ao lado da máquina, indicando os valores. Compramos os tickets (34 baht/ +/-R$3,40 ) e fomos pegar o trem. Uma guardinha que checa bagagens mais volumosas nos indicou a direção que deveríamos tomar. O trem não era muito diferente de outros lugares, bem parecido inclusive com o da Malásia, mas estava bem cheio.

Depois de algumas estações, descemos. Caminhamos alguns minutos e chegamos até o hospital. Ao entrar, ficamos impressionados! Um ambiente absurdamente luxuoso , parecia um hotel ou shopping de rico. As enfermeiras com unifornes e chapeuzinhos tradicionais, escada rolante, wifi. Tudo muito iluminado, claro e organizado.

Bangkok Nurse Home – Hospital da Tailândia! Imagem: http://www.bangkok.com/information-health.htm

O atendimento foi muito rápido e Joyce teve “alta”. Não vai mais precisar trocar o curativo. Enquanto esperávamos, descobri que um lugar que Joyce queria muito ir ficava bem pertinho.

Unicórnios existem? Em Bangkok, sim!

Dez minutos depois, chegávamos ao Unicorn Café, um café temático todo decorado em tons pastéis. Eu não tenho nada a favor nem contra os unicórnios, mas achei a ideia do café muito legal. Até a comida é decorada.

Vai um brownie de unicórnio com sorvete aí?

Como já tínhamos almoçado, pedimos bebidas e sobremesas. O brownie com sorvete estava uma delícia! Os preços não são exatamente baratos, mas também não achei absurdo. Por duas sobremesas e duas bebidas, desembolsamos 470 baht, cerca de R$47,00. Mas olha, comprou a diversão da filhota por um bom tempo, viu?

Tudo extremamente colorido em tons pastéis – cores de unicórnio, né? As fantasias estavam lá à disposição de quem quisesse usá-las. Embora bem infantil, havia muitas adolescentes e até adultos pirando com os unicórnios. Realmente a decoração é muito bem feita, ambiente bem temático mesmo.Lanchamos, tiramos muitas fotos e seguimos.

Vai um escorpião aí?

Andamos um pouco pelas ruas e resolvemos ir conhecer a Khao San Road – a rua mais louca de Bangkok. Encontramos um Mc Donalds, onde paramos para usar o wifi. Como era necessário comprar algo para receber a senha, comprei uma tortinha carbonara, uma invenção que eu nunca tinha visto em outras cidades. Adorei! Custou R$3,00. Pedimos então um Grab Taxi e depois de um trânsito louco, chegamos na Khao San.

A famosa Khao San Road

É lá onde estão as barraquinhas que vendem escorpiões, gafanhotos e outros insetinhos para os turistas. E pelo que ouvi dizer, só para os turistas – os tailandeses nem gostam de comer isso. A rua tem muitas lojinhas, casa de câmbio, agência de viagem, bares e restaurantes. Tem de tudo um pouco ali.

Escorpiões estão à venda na Khao san road – mas esse é da internet porque pagava para tirar foto!

Sem ter nada planejado par depois, começamos a andar meio aletatoriamente. Queríamos chegar até a margem do rio para ver se ainda era possível pegar um barquinho para ir ao outro lado – onde ficava nosso apartamento. Acabamos chegando a um local onde tinha uma construção muito bonita e iluminada. Muitas pessoas vestidas de preto se direcionando para lá.

Inicialmente achávamos que era um funeral, mas logo descobrimos que aquele era o Grand Palace e as pessoas estavam indo prestar suas homenagens ao falecido rei, que morreu no final de 2016. Sim, mais de 6 meses depois e o luto continua visível na cidade.

Ainda tentamos ver se seria possível entrar e acompanhar o acontecimento, mas claro que não pudemos entrar com nossas roupas inapropriadas (é preciso ser abaixo do joelho e cobrir os ombros). Demos uma volta pelas redondezas e, como estávamos sem internet, terminamos a noite pegando um Tuk Tuk até nosso apê.

Renata Marques

2 comments

  1. “Tudo extremamente colorido em tons pastéis – cores de unicórnio, né? As fantasias estavam lá à disposição de quem quisesse usá-las. Embora bem infantil, havia muitas adolescentes e até adultos pirando com os unicórnios.” ——————— EUUUUUUU

    “Um ambiente absurdamente luxuoso , parecia um hotel ou shopping de rico. As enfermeiras com unifornes e chapeuzinhos tradicionais, escada rolante, wifi. Tudo muito iluminado, claro e organizado. ” ——————————— Nenhuma fotinhuuuu??? Isso a gente não vê por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *