Você conhece nossa história?

Nossa vida em família começou um tanto difícil. Joyce nasceu em dezembro de 2002, quando eu, Reis, tinha 19 anos e Renata 18. Ainda estávamos na Universidade e éramos ajudados pelos nossos pais. Eu estudava pela manhã e trabalhava como auxiliar de escritório no período da tarde, ganhando meio salário mínimo. Cheguei a emagrecer 12kg, pois no fim do mês ia caminhando para o trabalho – não sobrava dinheiro para a passagem de ônibus.

Em 2004 conquistei o primeiro emprego com carteira assinada, o que já nos rendeu plano de saúde, vale alimentação e um pouco mais de dois salários mínimos por mês. Um pouco depois, Renata foi chamada em um concurso público e passamos a ganhar praticamente o mesmo salário. As coisas começaram a melhorar.

Já com nós dois empregados, meu pai antecipou todo o dinheiro da pensão que eu ainda receberia (um ano). Com esse dinheiro (cerca de R$10.000,00) mais um dinheiro extra que recebi da empresa onde eu trabalhava, demos entrada no nosso primeiro apartamento. Num bairro com ótimo custo-benefício, nosso apê era pequeno, sem elevador, mas confortável e (quase) nosso. Nem cogitamos a compra de um carro – os custos de manutenção consumiriam boa parte de nossa renda.

Como nossa prestação era baixinha, graças a boa entrada que demos, pudemos realizar nossa primeira “longa viagem”. Numa promoção da gol, compramos uma passagem por R$50,00 para Fortaleza e de ônibus continuamos até João Pessoa, Recife e Porto de Galinhas. Insano. Tomamos gosto por viajar e, desde então, não paramos mais.

primeira-viagem
Em 2008, Renata passou num dos melhores concursos para nível médio do país – sonho de muita gente! Ela foi morar em João Pessoa com Joyce. Eu, me formei em Engenharia Elétrica e consegui um emprego em Aracaju. Com empregos melhores e morando numa localização bem estratégica, viajamos bastante, principalmente pelo Nordeste. Nessa época, Renata criou um blog sobre esse tema, o Inda Vou Lá, que hoje mantém com a sócia Carmina.

Conseguimos voltar para São Luís em Janeiro de 2011 e voltamos a morar juntos depois de 3 anos. Mas isso durou pouco. Renata conseguiu uma oportunidade de morar 1 ano na Inglaterra em 2012 e em 2013 fui transferido para o interior do estado do Maranhão. Foram mais 3 anos morando em cidades diferentes.

Começamos a trabalhar com fotografia, uma paixão que cresceu e que foi sendo aperfeiçoada, através de investimentos e muito estudo. Em 2016, em plena crise econômica e financeira no país e trabalho escasso, pedi as contas e voltei para casa. A forma como conduzimos nossas finanças nos últimos 12 anos permitiu que construíssemos um patrimônio razoável.

Passamos a estudar muito sobre negócios, viagens e fotografia e, nessas pesquisas, fomos conhecendo histórias de vários aventureiros, que partiram em viagens incríveis ao redor do mundo, combinando viagens e negócios de formas divertidas e lucrativas. Enquanto hospedávamos estrangeiros em nossa casa, através do site Couchsurfing, escutamos muitas histórias de pessoas que viajam por vários meses – sempre com aquela inveja branca “Pena que isso não é possível pra gente!” Achávamos que isso era coisa para quem nasceu em berço de ouro. Ou quem não tinha filhos. Ou <insira aqui um monte de desculpas que nos impedem de correr atrás de nossos sonhos>…

viajamos por 17 estados brasileiros e DF, passando por várias cidades desses estados. Carimbamos, juntos, nosso passaporte em 12 países. Fora isso, Renata ainda conseguiu visitar outros 12 enquanto morava na Inglaterra. Mesmo assim, ainda achamos que um mês de férias por ano não é suficiente para tudo que queremos visitar no mundo.

Apaixonados por viajar, queremos mais e, não sendo ricos, começamos a buscar alternativas e soluções de como viajar mais e gastando menos. Acontece que CHEGOU A NOSSA VEZ!!! Durante esse ano de 2016, estamos nos dedicando a negócios online e ao planejamento de nossa viagem.

destinos na asia
Estamos nos organizando para viajar por 365 dias, fazendo do mundo o nosso lar. Partiremos em Dezembro, quando Joyce conclui o Ensino Fundamental. Ainda estamos fechando o roteiro mas, a princípio, nossa ideia é morar em seis países. Um ano, seis casas. Dois meses em cada país.

Parece algo impossível? No início também parecia para nós. Foi preciso muita determinação, assumirmos as rédeas de nossa vida e encontrar alternativas para gastar menos, ganhar mais e fazer a diferença render em meio à crise econômica do país. No próximo post, falamos um pouco dos nossos aprendizados sobre finanças que nos ajudaram a conseguir conquistar esse sonho.

Muitos familiares e amigos adoraram a nossa ideia e, o principal, muitos têm nos apoiado nessa “loucura”. Família e amigos, meu MUITO OBRIGADO! Amo cada um de vocês!

Grande abraço,
Reis.

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *